terça-feira, 9 de setembro de 2008

Amor e Guerra

No futebol existem grandes historias que você pode levar pra vida toda,historia de luta e conquistas dentro e fora do campo,histórias conquistadas nos bairros e nas arquibancadas, vitórias conquistadas muitas vezes na força e com muita união.Até hoje ainda vemos muitas historias e que ainda estão em guerra,batalhas travadas pelo amor ao seu clube e ao seu bairro,onde o preconceito não é tolerado de forma alguma,onde a justiça é feita pelo povo com as próprias mãos.Talvez se hoje fosse como na mesma Epoca dessa historia os jogadores dariam mais valor ao seu clube e não pensariam somente na fortuna que está em seus bolsos,primeiro porque naquela epoca o futebol não guanhava dinheiro, normalmente as pessoas sempre tinham outro emprego e jogava porque amava seu time ou o futebol.

Aqui é na mão!

St. Pauli,é um time originário de um bairro operário ao norte de Hamburgo (Alemanha), onde convivem artistas, prostitutas, punks, skinheads e um pessoal com um estilo de vida bastante libertário. O St. Pauli é um time que por sua história ganhou a simpatia de muitos comunistas, anarquistas e antifascistas. Sua torcida é 100% política e de esquerda, chegaram até mesmo a expulsar os fascistas do seu estádio a socos (Millentorn).




Para conhecer mais acesse: http://www.ultra-stpauli.com/

Resistência ao nazismo

Em meio a
Segunda Guerra Mundial (1939-1945), as Copas que seriam disputadas em 1942 e 1946 não puderam ser. Nessa época foi onde ocorreu o momento mais heróico e o o mais trágico da história do futebol. A Ucrânia é um país localizado no leste europeu que no século 20 teve o azar de conhecer os dois regimes mais ditadores da historia da humanidade, O stalinista e o Nazista. Em 1922, a Ucrânia foi incorporada à União Soviética e conheceu os horrores da ditadura de Stalin. Em 1941, a Alemanha nazista decidiu atacar a União Soviética, quebrando o tratado de não-agressão assinado em 1939,assim dominando a Ucrânia.Os ucranianos mais otimistas tentaram se conformar com a situação, achando,que sob o domínio de Stalin, eles já viviam no inferno, e que, portanto, o domínio de Hitler não poderia ser pior. Estavam enganados, a maioria da população ucraniana acabou sendo aprisionada, escravizada e enviada para morrer em campos de concentração e de extermínio. Um dos principais times de futebol da Ucrânia era o Dínamo de Kiev, formado por funcionários de uma padaria. Na época da ocupação nazista, o time ucraniano mudou o nome para F.C. Start.







Em 1942, para conferir uma aparência de normalidade ao país ocupado e conquistar apoio de parte da população ucraniana, as autoridades nazistas permitiram que um campeonato de futebol fosse realizado na Ucrânia.Para os ucranianos,isso foi uma forma de se divertir para esquecer o horror que passavam ali. Nesse campeonato, o Dínamo de Kiev, já rebatizado de Start, venceu todas as partidas. Algumas das partidas foram ganhas contra de times que eram da Ucrânia ou de outros territórios ocupados, não chamando a atenção dos alemães. Isso começou a mudar quando no dia 17 de julho, uma sexta-feira, o time ucraniano disputou uma partida com o PGS, o time de uma unidade militar alemã.O time alemão acabou sendo goleado pelo time ucraniano (6x0). No dia 6 de agosto daquele ano, o Start disputou uma partida com outro time alemão, o Flakelf, formado por membros da Luftwaffe, a famosa força aérea alemã. Nova vitória dos ucranianos por goleada: 5x1. Os alemães não quiseram acreditar.Parecia impossível que um time formado por ucranianos, que estavam sofrendo com a subnutrição e eram considerados uma "sub-raça" pelos nazistas, pudessem vencer os alemães, que estavam muito mais bem alimentados. Inconformados com a derrota, os alemães marcaram uma revanche para o domingo, dia 9 de agosto. No dia da revanche, o estádio Zenit estava lotado. Os jogadores ucranianos haviam sido instruídos no vestiário a cumprimentar os adversários no início da partida fazendo a saudação nazista "Heil Hitler!". Num ato de rebeldia, os jogadores ucranianos fizeram outra saudação, gritando "Fizsculthura!", uma mistura das palavras fitzcultura ("cultura física") e "hurrah", que significa "vida longa ao esporte".Apesar de o árbitro ignorar todas as faltas cometidas pelos alemães e marcar todas as supostamente cometidas pelos ucranianos, o Start conseguiu vencer o Flakelf na revanche por 5x3. Para os torcedores ucranianos presentes no estádio, aquilo foi mais do que um jogo de futebol, foi um ato de resistência. Os jogadores do Start se transformaram em heróis nacionais, o que incomodava e preocupava as autoridades nazistas.Conclusão?Os jogadores ucranianos não comemoraram a vitória. Pelo contrário, passaram a temer represálias. Poucos dias depois, na padaria onde trabalhavam, os jogadores foram presos pela Gestapo. O pretexto usado para prendê-los foi o fato de que a maioria deles fazia parte da NKVD, a polícia secreta soviética. Na verdade, para a maioria dos jogadores do Dínamo de Kiev, a filiação a NKVD não passava de uma mera formalidade que os permitia jogar futebol antes da ocupação nazista.Os jogadores ucranianos foram torturados pela Gestapo. Quatro deles acabaram sendo mortos pelos nazistas: Nikolai Korotkykh, Nikolai Trusevich, Ivan Kuzmenko e Alexei Klimenko. Dos que sobreviveram, a maioria estava tão debilitada fisicamente que nunca mais puderam jogar futebol. Após o término da guerra e a derrota dos nazistas, o Start voltou a se chamar Dínamo de Kiev. Uma estátua foi construída em homenagem aos quatro jogadores mortos. Mais detalhes sobre essa emocionante história podem ser encontrados no livro "Futebol e Guerra", escrito pelo jornalista britânico Andy Dougan, publicado no Brasil pela editora Jorge Zahar.




Unicos sobreviventes da heróica historia do kiev!

domingo, 7 de setembro de 2008

Diário de um "Hincha"!



Diário de um “Hincha”
Era um dia quente,minha primeira vez em Buenos Aires, argentina, às 4 da tarde caminhava com meus amigos em busca do Ônibus para o bairro tradicional de floresta onde iríamos ver ao jogo do All boys,equipe da “Primera B” Argentina (Na época esta uma divisão abaixo),chegamos cedo para o jogo (2 horas de antecedência),enquanto isso foi procurar conhecer e entender como as pessoas vêem e sentem o futebol na argentina, conheci um dos Capos da barra(torcida) dos “Albos”,como são chamados, o nome dele era Daniel bermudez, me apresentei e perguntei sobre a Equipe que eu somente conhecia por internet e de boca(não do bsotero..rs),enfim conversamos bastante e ele foi super atencioso e preocupado como estávamos se sentindo em seu bairro, então fiquei me perguntando mesmo eu já sabendo que não existia a tal; Brasil x argentina...rivais?Não há amizade entre ambos?Total ignorância de quem pensa isso, isso são coisas criadas pela mídia brasileira hipócrita e aos alienados “torcedores”.



Ao entrar no estádio ele estava vazio, tinham mais ou menos 3 mil pessoas onde cabiam 15 mil,quando começa a encher e derrepente vejo uma das cenas que mais me chamaram atenção:
A torcida local se levanta e começa a aplaudir e cantar junto com a entrada da sua torcida peste blanca do all boys,o eco e a canções contagiam e arrepiam só de lembrar, daí em diante são 90 minutos sem parar de cantar,com avalanches, crianças subindo o alambrado,velhinhos roucos de tanto gritar,um bandeirando cobrindo metade do estádio e quando percebi aquele lugar estava cheio 15 mil torcedores numa equipe de terceira divisão,é normal para eles,incrível não?É o verdadeiro sentimento de bairro,onde é valorizado as raízes.Pois é, no Brasil quando acontece isso?Nunca, afinal para as pessoas aqui no Brasil é vergonhoso torcer para um equipe sem títulos.Sai de lá com outra visão do futebol,onde ainda existe pessoas que acreditam e sentem suas equipes e que valorizam suas raízes e tradição.

Gui "Pibe"


"All boys mi bueno amigo

esta campana volveremos estar contigo

te alentaremosde corazon

esta hicnhada que te quiere ver campeon"
FUTBO SUPERA TUDO,vejam o video:
video

Seja bem-vindo ao Expulsos de Campo

O publicitário, roqueiro e torcedor do Santo André, Guilherme Pibe, traz a visão "underground" de toda cena do futebol e do rock´n roll juntos em um só blog.



Para ver os vídeos do EDC, clique aqui.